em 

TODO O SITE  

re-FARM, re-ROUPA: transformar é urgente!

05.12.17

 #re-farm #re-roupa



Amanhã, em todas as lojas, a gente lança uma super novidade. É a coleção RE-FARM RE-ROUPA, em parceria com Re-Roupa. A ideia vem sendo desenhada há um tempo, da necessidade de reaproveitarmos nossos tecidos sem uso... Hoje, no Brasil, cerca de 170k toneladas de resíduos têxteis são descartados por ano e 85% desse material vai parar nos aterros sanitários, sem reaproveitamento! Esses dados são inquietantes, né? 

Foi então que nos unimos à Gabi Mazepa, do Re-Roupa, pra criar novas peças FARM a partir dos nossos próprios resíduos de tecido: roupas com pequenos defeitos, retalhos de corte e sobras de materia-prima e aviamento foram garimpados pra dar vida à coleção re-FARM re-ROUPA que chega às lojas da Harmonia (SP) e de Ipanema (RIO) amanhã (6/12) e hoje à noite no e-FARM. 


 
"Nós acreditamos que é possível estender o ciclo de vida dessas roupas já existentes usando processos criativos inovadores como ferramenta. Além da preocupação clara com o reaproveitamento, faz parte do conceito do projeto Re-Roupa valorizar a mão de obra local e capacitar costureiras para esse processo criativo chamado Upcycling", conta Gabi.
 
Todas as peças da coleção foram produzidas no ateliê da Re-Roupa no Rio de Janeiro, em parceria com costureiras empreendedoras que trabalham de forma independente empoderando a mão de obra local. As peças são feitas à mão, uma a uma, dando vida a peças que compartilham modelagens similares, porém com combinações exclusivas de estampas antigas e novas da marca.
 
"A parceria com o Re-Roupa é uma super novidade e um novo e grande passo dentro do re-FARM. Tudo porque a coleção faz parte de uma metodologia queressignifica a vida útil de materiais até então descartados, algo tão importante para caminharmos no sentido da redução dos nossos impactos ambientais negativos e aumento do nosso impacto social positivo. As palavras chaves desta virada são colaboração e consciência" - diz Taci Abreu, nossa head de marketing.  
 
“Pra nós do Re-Roupa esse desafio é um dos que mais nos motiva: aplicar a nossa metodologia para dar novo destino para os materiais que estavam inutilizados em estoques de grandes empresas. Desta forma pretendemos promover transformação neste setor”, explica Gabi Mazepa, do Re-Roupa.
 
O primeiro passado tá logo aqui, à frente. Vamos? 
TOPO