em 

TODO O SITE  

paraíso perdido

18.03.17

 #haiti #polinesia francesa

SUP, mergulho, flutuação entre corais, trilhas pra cachoeiras e até aula de dança. Conhecida como destino pra casais, o Tahiti entrou também na rota de mulheres que se jogam sozinhas pelo mundo (oba! ), amigas e famílias. O Juju na Trip esteve lá esses dias e voltou com um roteiro diferente, de ilhas mais intocadas e igualmente exuberantes. Vem ver!

A Polinésia Francesa tem 5 arquipélagos e mais de 118 ilhas, com águas turquesa e cristalinas, onde você pode fazer Stand Up, hiking, surfar, tomar banho de cachoeira, entrar em contato com a cultura local, cozinhar, mergulhar, ver raias e tartarugas  A gente foi conhecer as ilhas de Raiatea, Tahaa e Huahine, e voltamos de lá apaixonados! 

Fomos do Rio pra Los Angeles e de lá pra Papeete, de onde chegam os voos internacionais e de onde saem os voos domésticos pras ilhas da Polinésia. Pernoitamos lá e, no dia seguinte, voamos pra Huahine. Uma coisa bem legal que descobrimos é que há passagens promocionais pra quem viaja com a família: adolescentes até 15 anos não pagam passagem pela Tahiti Nui quando viajam com os pais! 

Huahine é uma ilha menos explorada da Polinésia Francesa, imaculadamente tropical, com águas cristalinas, coqueiros a perder de vista e montanhas com vegetação densa. E há apenas 3 hoteis na ilha, nenhum de grande porte. Essa é uma ilha pra se visitar com calma e comungar a união com a natureza, apreciando os mais 200 templos polinésios que existem espalhados por lá. 

Uma coisa muito legal de se fazer por lá é tirar um dia pro passeio de 4X4 + barco, explorando a ilha. O tour (que fizemos com o Poe Island Tour) começa com a visita a uma fazenda flutuante de pérolas e segue pra um motu isolado e sua lagoa (como eles chamam as piscinas naturais que se formam entre corais), onde um picnic é armado sob acordes de ukulelê e ocorrem rápidas aulas de dança e culinária.

De Huahine, pegamos outro voo, de 15 minutos, para Raiatea. A ilha tem uma  geografia poderosa: é formada por uma rocha gigantesca que emerge do mar com toda sua potência, coberta de densas florestas. E no entorno dessa ilha-mãe, estão as as pequenas ilhotas, chamadas Motus, cheias de coqueiros. 

A maior parte desses motus ainda é virgem e sem construção, e apenas na formosa Tau Tau existe um resort que nada deixa a desejar aos de Bora Bora: o Le Tahaa, um relais chateau com bangalôs sobre o mar. 

Pra quem gosta de mergulho autônomo, tem mais de 20 spots em Raiatea e Tahaa, incluindo um naufrágio (mais infos em Dive Tahiti Blue). Outra diversão é descer as corredeiras que se formam entre os motus, observando os jardins de corais ao fundo. Não deixe de fazer - e apreciar! 

Onde ficar em Raiatea/Tahaa: pra uma experiência paradisíaca, com bangalôs sobre o mar num motu pra chamar de seu, aponte a bússola pro Le Tahaa Resort & Spa. É um hotel exclusivo e kidsfriendly, que faz parte da coleção Relais&Chateau. Conta com piscina, apoio a atividades marítimas, spa, clube de mergulho, e tem tarifas a partir de +/_ US$800.
Pra quem tiver um orçamento menor, há outros hoteis aqui no booking, e você também pode achar hoteis familiares fazendo a busca por “pension de famille a tahaa” no Google.

Onde ficar em Huahine: nosso hotel foi o Maitai Lapita, que tem um perfil mais rústico e bangalôs espaçosos voltados pro rio e pra floresta. O hotel fica numa faixa entre a praia e as montanhas, e conta com um restaurante ótimo e piscina. Não é um hotel de luxo, mas é muito agradável e integrado com a natureza.   

Como chegar em Tahaa e Huahine: quem voa é a Air Tahiti! 

Como chegar em Papeete: nós voamos pra Los Angeles e, de lá, pegamos um voo da Tahiti Nui. Uma dica pra baratear a viagem em família: na Tahiti Nui, até duas crianças de 11 anos viajando com a família não pagam passagem, apenas as taxas.  


veja em novidades

outras cores >
outras cores >
outras cores >
outras cores >
outras cores >
TOPO

aperta o play

inativa